Breve momento de pausa para quebrar a rotina...

Autoria de textos e imagens do blog é de momento do café


05
Jul 10

Aquele mar azul, mágico, ressalta da imagem, prende o meu olhar e convida-me ao sonho que surge, sem entraves. Então, a minha imaginação vagueia por aquele mar e pára naquela Ilha que, perdida nesse imenso domínio azul, se compraz em manifestar o seu inesquecível encanto. O meu sonho, logo ali, desenha o barco que vai seguir o roteiro marítimo que a minha imaginação traça para lá chegar. Embarco no meu sonho e naquele barco e parto à redescoberta daquela Ilha. O barco rompe o mar azul que, sentindo-se contrariado, espuma um rasto branco de raiva. Ignorando essa raiva, o barco avança, abrindo o espaço azul que me separa e me aproxima da Ilha. A viagem prossegue e a Ilha toma contornos mais nítidos. Olho as montanhas escarpadas que irrompem pelo céu e, encaixadas entre o branco sereno das nuvens e o azul violento do mar, descem, a pique, sobre ele, impondo-lhe os limites. Já espreito, ali, o Funchal. À luz do sol, o casario, subindo em anfiteatro, trepa pela encosta e, lá do alto, contempla o imenso azul atlântico que lhe desenha os pés. Prendo os olhos, de novo, no azul do mar e o meu sonho, rompendo as barreiras da minha criação, foge para se espraiar num outro sonho que rasga, também, esse mar imenso e navega à boleia de um navio de cruzeiro. O meu sonho, embalado por esse outro sonho, redesenha o barco e, por minha livre vontade, apodera-se do belo traço desse navio de cruzeiro. E deixo-me ir, à bolina, naquele mar dos sonhos por onde esse navio navega. Os meus sentidos estão despertos para captar todos os momentos do tranquilo prazer que a viagem me proporciona. Sinto que a emoção pode tomar conta de mim. Para me recompor, faço uma pausa nesse mar dos sonhos que me absorve... olho o mar azul, mais apaziguado, e procuro a linha do horizonte. Respiro fundo. O navio de cruzeiro aproxima-se do cais. Preparo-me para viver o instante em que os sonhos fogem de mim e se materializam. Espero a emoção e o encantamento, frente à Ilha. Então, debruço-me sobre a amurada do navio. As lágrimas de emoção caem livremente no mar, misturam-se àquele azul e tocam o casco do navio de cruzeiro. Olho, mais uma vez, o mar e penso que não há sonhos impossíveis... dirijo-me para o portaló para deixar o navio. Ali, a uma escassa distância, a bela Ilha da Madeira espera por mim...

publicado por momento do café às 10:45

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
16
17

18
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
31


arquivos
2019:

 J F M A M J J A S O N D


2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


Dia Mundial da poesia - Desafio Blogs do Sapo 2011

mais sobre mim
pesquisar
 
DIREITOS DE AUTOR

dir autorpq.png

*Textos e imagens de outra autoria e proveniência publicados neste blog são devidamente referenciados no respetivo post.

Porto e o Douro

...........................................................................

Boa Nova: Farol e mar

Do terraço vejo o mar...

o pôr-do-sol...

20161227_170628.jpg