Breve momento de pausa para quebrar a rotina...

Autoria de textos e imagens do blog é de momento do café


15
Nov 09

Uma nova classe de gente ajeita-se, talentosamente, na política e na sociedade. De visão rápida e circunstancial, olha o momento que não pode ser desperdiçado. Agarra a oportunidade com a avidez exacta à sua desmesurada ambição pessoal e política. Sem perda de tempo, perfila-se e prepara-se activamente para não perder o comboio da democracia de que se apropria. Apercebe-se das vantagens na prestação de altos serviços ao país e ao povo e, pela democracia, vale todo o sacrifício exigido. Adapta-se, às mil maravilhas, a todas as situações. É gente que veste um disfarce de pudor e dignidade para envolver um falso compromisso democrático num gesto de  altruísmo. É a sua democracia que prevalece, muito particular, muito ao sabor da sua cobiça desenfreada. Esta nova classe de gente, bem acomodada à sombra do mundo político, oculta uma pardacenta face para, subtilmente, alcançar o propósito de colher os proventos que a engordam e as regalias que a sustentam. Não há tempo para questionamentos éticos e morais. Na prática de um cargo político, além do prestígio inerente, tem a livre movimentação nos meandros do circuito político para estabelecer a construção do “carreirismo político”, onde colhe privilégios e favores e obtém o currículo tão adequado e plenamente conseguido que lhe facilita a acessão, no futuro, a um lugar oferecido por outros poderes satélites que, tantas vezes, definham o poder do Estado. No perímetro das relações que se organizam em redor do poder político, esta nova classe de gente, em fases da sua ambição e ganância, parasita os sucessivos caciques, insiste, atinge o plano de maturação na arte de ganhar prerrogativas, de exercer influências e mover interesses. Tem a conveniente atitude de aceitação e comunhão das decisões do poder político que toda a sociedade escrutina democraticamente, respeita e crê impoluto e acima de quaisquer suspeitas. Esta nova classe de gente que vive ajustada ao tom cinzento de princípios e de valores de conduta, lança a descrença e a indignação nos cidadãos que acreditam que a verdadeira democracia se exerce na igualdade de direitos e deveres e que ninguém está acima da lei.

publicado por momento do café às 13:06

Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
28

30


arquivos
2019:

 J F M A M J J A S O N D


2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


Dia Mundial da poesia - Desafio Blogs do Sapo 2011

VISITAS

Obrigada a quem passa pelo momento do café! Comentários e opiniões são bem-vindos!

mais sobre mim
pesquisar
 
DIREITOS DE AUTOR

dir autorpq.png

*Textos e imagens de outra autoria e proveniência publicados neste blog são devidamente referenciados no respetivo post.

Tradutor
Porto e o Douro

...........................................................................

Boa Nova: Farol e mar

Do terraço vejo o mar...

o pôr-do-sol...

20161227_170628.jpg